Se posso ser simples por que escolho ser complicado?

18/05/2017

 

Eu ia começar falando dos tempos difíceis que estamos vivendo, e de repente me dei conta de que na verdade ele nunca deixou de ser... O que mudou nos dias de hoje é a velocidade da informação. Ficamos sabendo em tempo real do assalto que está ocorrendo no centro do Rio, das bombas que caem em Aleppo, dos refugiados que chegaram mortos à praias da Itália, dos venezuelanos com suas placas de procuro emprego em Roraima, do estado de guerra que vive a população do complexo do Alemão, do pouco que foi feito pelo rio Doce, da visão de fim do mundo que é assistir os catadores nos imensos lixões pelo Brasil... Recebemos vídeos e mais vídeos desses episódios ao longo de nossos dias, e precisamos manter a calma, a sanidade, não desesperar, nem perder a esperança. 

 

Devemos escolher o que vamos fazer com essas informações que nos chegam:

 

Alternativa 1

Entrar em depressão, concluir que o Brasil é uma "merda" e procurar no mapa mundi uma caverna sem internet, sem televisão, sem vida, e ficar lá até o último suspiro...

 

Alternativa 2

Encaminhar para todo mundo esses vídeos a titulo de "serviço de utilidade pública ", assim todos podem evitar assaltos, não votar no candidato "errado", não separar seu lixo porque não possui o serviço de coleta seletiva...

 

Alternativa 3

Nunca encaminhar nenhum vídeo que trate desses assuntos e ignorar totalmente, afinal o que acontece na Síria não me interessa! Só compartilhar fotos engraçadas, bichinhos fazendo travessuras, e mensagens inspiradoras de otimismo e amor ao próximo...

 

Alternativa 4

NRA...

 

Enfim, são inúmeras possibilidades e como tudo o mais na existência humana: o certo e o errado são relativos. Então o quê fazer? Vem a mente leituras que fiz. Pensamentos de filósofos antigos e seus registros que nunca envelhecem. Tales de Mileto já tratava da ética 600a.C. Sempre tivemos a nítida noção do certo e do errado. Nosso senso ético sempre esteve aqui dentro de nós, independente da época em que nascemos. Por que nos sentimos confusos? Tudo pode e deveria ser mais simples. Então me recordo de ontem, como me senti ao andar na rua. ...Como evitar meu desconforto, quando ando na rua e me vejo tomada pelo terror de quem já foi assaltada 5 vezes? Alguns vão pensar: mas você mora no Rio, esperava o quê? Eu não consigo achar natural ser assaltada, nem aqui, nem em SP, nem em lugar nenhum, desculpem. Era pra gente andar na rua tranquilos, simples assim... Penso que quando dizemos a palavra SIMPLES, precisamos recordar, lembrar da amplitude e significado dessa palavra. Ela precisa passar por ressignificação... Nós a estigmatizamos. 

 

Senão vejamos como podemos ser simples...

Podemos lembrar diariamente de ser gratos pela vida, pelo alimento. A sensação de gratidão produz dopamina, certifica os estudos da neurociência, junto com ela vem a maravilhosa sensação de prazer. Quem não gosta de sentir prazer???

 

Podemos evitar ser acumuladores. Acumuladores de sentimentos ruins, rancores, raivas e estresse que produzem cortisol. Também certifica os estudos de neurociência, com ele podemos desenvolver doenças, tumores, tristeza, depressão... que tal possuir apenas as coisas que precisamos pra nos sentirmos felizes e confortáveis? Acumular somente o necessário ao longo da vida. Pense no seu entorno... observe a sua volta... abra seu armário... sua garagem... seu imposto de renda... será que você já não acumulou mais do que precisa? Você se sente pressionado? O que falta de verdade em você que precisa ser compensado com tantas "coisas". Que vazio é esse?... reflita, descobre...

 

Há tanta coisa que pode ser feita por nós mesmos e pelo planetinha azul. Podemos fazer a nossa parte independente do vizinho fazer ou não a dele. Um erro não justifica o outro. O fim não justifica os meios (quase nunca). Responsabilidade... meus filhos precisam de referência. Ensinar, educar dá trabalho. É serviço de tempo integral e pra vida toda, sem direito à aposentadoria. Muitas vezes vão julgar que você está com raiva ao defender acaloradamente uma ideia, mas aí você lembra a todos que você está é inconformado. Não se furte de fazer a sua parte. Quem sabe se todo mundo fizer sua pequena e importante parte, juntamos nossas pequeninas gotas de contribuição e formamos um mar... eu acho que tem faltado fé! As pessoas esperam fazer grandes coisas... não, não... vamos fazer um monte de pequenas boas coisas. Cuide de quem você alcança, acredite no seu poder de contaminar o seu entorno e escolha contaminar positivamente. 

 

Vivemos num mundo interligado para o bem e para o mal. Precisamos nos lembrar diariamente do nosso propósito, e se você não possui um, corre pra procurar ... e precisamos nos colocar diariamente no rumo desse propósito. Valorizar de verdade o SER em vez do ter. De verdade, porque precisa sair do seu discurso e passar para suas atitudes. Precisa deixar de ser desejo pra virar realidade. E isso exige esforço cotidiano. Abdicar do conforto de seguir o efeito "manada" e se aventurar na carreira solo. Quem sabe o "solo do bem" não se transforme em manada... ah! Esperança que eu insisto ter na intenção humana. 

 

Pergunta pra você hoje, agora:

O que significa ter sucesso pra mim?

O que eu realmente preciso pra me sentir feliz?

Respondeu???

 

Agora pensa, elabora, sente e parte para ação. Você vai precisar de um plano pra não se perder. Acredite, muitas coisas vão te tirar da rota. Volte para o seu plano quantas vezes for necessário, revise-o porque dificilmente acertamos de primeira e empecilhos surgem a toda hora. Só não caia na tentação dos atalhos. 

Lembre-se: Você vai colher exatamente o que você plantou! 

Então escolher as sementes certas não é perder tempo, mas parte da estratégia. 

E se gostou compartilhe.

 

Edição: João Gonzaga de Oliveira

Compartilhar no Facebook
Curta este post
Please reload

Posts Em Destaque

Mais um fim de ano se passou

06/01/2020

1/10
Please reload

Posts Recentes
Please reload

Arquivo
Please reload

Procurar por tags